Próximo Episódio...
7x05 - “Greenbacks”
jorge postou isto no dia 11 de julho de 2015.

A Ever After já passou tem quase três semanas, todos já viram as fotos, todos já viram os vídeos. Todos já morreram escutando Demons ou See You Again de novo. Em mais ou menos um mês de correria para a gente, desde os preparativos para a convenção, até a cobertura dos eventos e as duas semanas depois disso tudo tentando deixar a galeria atualizada, acabamos nos perdendo e diversas coisas que tínhamos em mente foram ficando para depois.

O especial Ever After é uma delas. Ainda não tivemos chance de compartilhar com vocês tudo pelo que a gente passou. É por isso que decidimos escrever relatos pessoais, bem descontraídos, da nossa versão da convenção.

Serão dois relatos pessoais, seguido por um vídeo, mas que só vai ser postado na marca de um mês de EA.

Esperamos que gostem e quem sabe façam com que vocês conheçam um pouco mais das pessoas que mantém o Once Upon a Time Brasil atualizado:

Para começar a falar sobre a Ever After, eu tenho que começar fazendo uma introdução que tem e não tem, ao mesmo tempo, muito a ver com o evento. Até por que, você que está lendo tem que saber quem está falando com você. Felizmente, essa pessoa que vos escreve vai muito além do ano que está em dentro do retângulo verde musgo acima desse texto.
Você deve ter olhado para o retângulo logo depois que eu citei ele, então você viu que quem fez esse post é uma tal de Elisa, em um certo dia que pode ou não ser o dia 11 de julho.

eu nome é Elisa, tenho 19 anos e faço parte do Once Upon a Time Brasil desde 2012.

Indo a parte que interessa, fiquei sabendo da possível Ever After através de duas pessoas: O Matheus, da página Once – Série, e da Anna, que frequenta a página citada. Certo dia, ao estar no Twitter do site, vi diversas mentions dos dois, onde eles pediam ajuda para uma petição de uma possível convenção de uma empresa chamada Daydream que eu nunca tinha ouvido falar. É claro que eu topei na hora e depois, entrando em contato com o Matheus pelo Facebook, ele me passou o contato de uma tal de Renata, que me explicou melhor sobre o que se tratava essa possível convenção.

O tempo passou, a convenção foi confirmada. Os atores também. O Once Upon a Time Brasil tinha uma parceria com a empresa, mas eu ainda não tinha os ingressos. Precisava comprar as minhas atividades. Foi horrível ter que escolher só um ator para comprar alguma atividade, mas infelizmente era só o que meu dinheiro aguentava. Acabei escolhendo a atriz que eu mais sentiria falta se passasse esse evento sem ver realmente de perto, abraçar e tirar uma foto: Lana Parrilla. Só fui conseguir comprar as minhas atividades 20 dias depois que os ingressos estavam disponíveis e foi o suficiente para eu arrancar todos os meus fios de cabelo e achar que o mundo ia acabar. No dia que comprei meu ingresso e minha foto com a Lana, dancei pela casa e foi o dia que minha gata desejou poder me matar de tanto que eu agarrava ela.

Minha mania de deixar tudo em cima da hora estava sempre ou meu lado, e em uns dois meses eu nem sabia como eu fazer pra passar um final de semana no Rio de Janeiro, já que eu moro em outro estado (mais conhecido como Espírito Santo. É, tem fãs de Once Upon a Time aqui também!) Nessa época eu tinha em mente que faria tudo em um dia só: Sairia daqui na sexta a noite, iria para o Sheraton de manhã, passaria o dia lá e de noite estaria em casa. Lindo, né? Era o plano perfeito na minha cabeça.  Nessa época ainda a minha responsável (leia-se minha mãe) nem sabia do meu plano. Eu sabia que se contasse pra ela, ela ia rir da minha cara. Nessa época, também, ela nem sabia que eu fazia parte de um fã site. Ela só foi saber o que é um fã site depois que eu contei pra ela sobre esse, aliás. Enfim.

O tempo foi passando e eu descobri que nada daquilo que eu tinha planejado daria certo, até por que as atividades seriam em dias diferentes. Quando contei pra minha mãe sobre tudo, ela me chamou de louca e brilhantemente decidiu que a gente ficaria em hotel ($$$$$) e que não teria problema eu passar o final de semana inteiro no Rio. Acabou que eu precisei ficar o final de semana inteiro para não perder as atividades.

Algum tempinho antes do evento, recebemos a confirmação de que eu e senhorita Letícia, uma outra menina que mantém esse site atualizado, iríamos na coletiva. Estava tudo ótimo até que eu me toquei que seria no dia 26, mas minha passagem estava marcada para o fim daquele dia. Não ia dar tempo. Tentamos trocar as passagens, mais estava saindo mais que o dobro da passagem original ($$$$$). Nunca ia dar. Mais gritos, mais fios de cabelos perdidos e mais pensamentos de que o mundo ia acabar até que minha mãe teve a seguinte ideia: “Por que você não pede ao seu pai? Ele tem milhas, consegue comprar um nova passagem para você”. Ótima ideia, né? Acontece que meu pai se recusa a comprar tudo para mim, a não ser que seja um livro. Daí ele se oferece a comprar mais um.
Tive sorte de meu pai estar vendo o quanto estou me esforçando, modéstia à parte, no meu curso na faculdade (nessa época eu estava no primeiro período de artes cênicas) e tive um plano: Vou dizer que tenho um curso para fazer no Rio de Janeiro.

Essa foi a história que eu contei pra ele: “Pai, a minha professora do curso vai dar um workshop de atuação para cinema no Rio de Janeiro, no dia 27. Eu ia e já até tinha comprado as passagens, mas daí ela mudou o horário e o que seria no dia 27, agora é dia 26 e eu preciso ir. Eu quero muito pai, vai ser importante pra mim. A minha ideia é ir no dia 26 depois do almoço. Eu vou com a minha mãe e lá vou encontrar com uma amiga chamada Letícia, que é da minha sala. Vamos ficar juntas no hotel com a minha mãe. Minha mãe vai chegar no dia 26, durante a noite. Eu tentei trocar as passagens mais não deu, por que ia ficar muito caro. Você não quer comprar uma passagem para mim não? A minha mãe ainda consegue usar a dela. Só preciso da minha!” Meu pai respondeu com um simples “Vou pensar”. Essa é uma resposta extremamente positiva, com 100% de chances de dar certo.
Detalhe: Letícia não é minha colega de sala. Eu nunca tinha visto Letícia na vida até o dia da coletiva. Ela não ia ficar comigo no hotel. Eu nem sabia onde Letícia ia ficar. Mas se você tem um pai igual ao meu, sabe que você tem que aparecer com um plano, dar todos os detalhes e talvez ele te ajude.

Bom, chegou o tão lindo dia 26 que eu estava esperando. Eu nem consegui dormir direito do dia 25 para o 26, na verdade. Me arrumei e minha mãe levaria as malas com ela, mais tarde. Assim eu ficaria livre e sem bagagem pra carregar pra cima e pra baixo num estado que para alguém que mora em um cidade pequena, tudo é longe.
Cheguei no aeroporto do Rio e logo aí coisas começaram a dar errado: Senhorita Letícia deveria ir me buscar lá e nos iríamos juntas para o Sheraton fazer nossas credenciais. Ela não foi por que ia ficar muito caro para ela vir e voltar comigo de taxi. Fui sozinha de taxi para o hotel e tive sorte de pegar um taxi gente boa.

Existe um Sheraton aqui em Vitória, mas não imaginava que o Sheraton do Rio seria o que é. Só chegando lá eu entendi por que o valor do quarto mais simples, com o desconto para os participantes da Ever After, ainda fica tão caro, hahahaha.

Fui fazer a minha credencial e fui lá que conheci a Letícia. Foi muito bom saber que ela não era nenhum pedófilo ou algum cara que fica jogando sinuca online. Lá eu também conheci o Matheus! Aquele que me falou sobre a petição, no começo desse texto. Também conheci a Carol, com quem eu trocava e-mails há meses, mas tinha visto a cara. Devo ter passado pela Martha bem rapidinho, mas só fui saber que era ela depois.

Já havia passado da hora do almoço e decidimos ir comer alguma coisa. Fomos eu, Letícia, o grupo de amigas dela e o grupo de amigos do Matheus (que incluía membros da página do Once – Série). Sinceramente, acho que nunca tinha andando tanto. A ideia era ir no MC Donald’s, mas quando estávamos chegando falaram, “Não vai dar tempo de comer, voltar e se arrumar pra ir pra coletiva!”. Não acreditava que tinha andando aquilo tudo atoa. Duas pessoas voltaram para a casa que elas estavam ficando no Rio para se arrumarem e outro grupo de pessoas ficou, incluindo eu. Acabou que eu e Letícia fomos comer no Spoletto. O legal é que eu só tinha uma peça de roupas para passar o dia e seria na qual eu iria para a coletiva. Sujei a blusa com gotas de molho bolonhesa. Ia conhecer Lana Parrilla suja de molho. Muito bom.

Fomos para a casa que a Letícia ia passar o fim de semana com as amigas e depois de sofrer tentando abrir a porta da casa, estava todo mundo pronto.

Chegamos no Sheraton meio em cima da hora, falamos com os responsáveis pela coletiva e entramos. Nessa hora eu sinceramente estava suando frio. Dentro de alguns minutos eles estariam ali! A gente iria conhecer eles! De pertinho! Sean, Bex e Lana! (Como vocês já sabem, o Colin não foi por algum motivo que não ficamos sabendo. Mas a gente já chegou lá sabendo que ele não ia).

Nos preparamos e foi nessa hora que percebi como seria bom ter mais um par de de braços. Ou eu tiraria foto, ou gravaria vídeo ou fazia a cobertura no Twitter. Como fazer as três coisas ao mesmo tempo? Como fazer aquilo tudo e ainda prestar atenção e guardar aquele momento na memoria? Combinamos que eu estaria no Twitter e gravaria e Letícia ia tirar as fotos. Até que deu certo.

>Fomos avisados que não poderíamos gritar por que “éramos profissionais” mais alguns gritinhos não deu pra segurar. Da minha parte, pelo menos.  Falaram também que não poderíamos tirar fotos dos atores chegando no palco, para eles não saírem em ângulos estranhos. Meio estranho, mas tudo certo.

Ouvimos vários gritos do lado de fora do hotel e daí comecei a ficar mal. Aquilo tudo era de verdade! Não teve nenhum tipo de anúncio, só ouvi um “Começou!” e do nada Lana, Sean e Bex entraram! Depois da surpresa, meu primeiro pensamento foi “Wow!” Eles são de verdade! A Lana estava ali! E a Bex! E o Sean!

Eles pararam para que a gente pudesse tirar foto deles e foi todo mundo para mais perto do palco. Eu mandei um beijinho para a Lana e eu deu uma risadinha, foi bem fofo. Sinceramente, não dava para acreditar que eu estava ali.

Depois que os atores sentaram, ainda dava para escutar fãs gritando lá fora. A Lana perguntou se sabiam que eles estavam lá dentro, todo mundo riu e eu respondi “Eu acho que não” e deu uma risada, ela respondeu “Não, eles sabem sim!” e riu também. Várias dores no coração nessa hora.

Cada pessoa no local poderia fazer uma pergunta. Tinham duas fileiras completas. Eu estava no fim da primeira. O microfone foi passando de mão em mão. Parecia que cada pessoa fazia a pergunta que eu queria fazer. Acabou que decidi uma de ultima hora. Letícia estava antes de mim e foi a vez de fazer a pergunta dela. Ela perguntou se os atores esperavam que os personagens fossem chegar tão longe na série. A Regina desculpar a Snow, o Robin ficar com a Regina e a Zelena voltar, coisas nesse sentido. Eles não entenderam muito bem a pergunta. Lets acabou ficou meio nervosa e a Lana foi super fofa e disse “Não, calma” <3 Eles acabaram respondendo algo totalmente fora da resposta, mas foi.

Na vez da minha pergunta, eu comecei a ficar mal. Era a minha pergunta! Eles iam olhar pra minha cara! Se eles não entendessem o meu inglês eu ia ficar super sem graça! (Mesmo que tivesse um tradutor lá e a pergunta pudesse ser feita, estava fazendo questão de perguntar em inglês por que né, não fiz 7 anos de curso a toa).

Quando os atores olharam para mim e ia falar a primeira palavra, tiraram o microfone na minha mão e anunciaram: “Olha só gente, vamos correr com a coletiva. As perguntas estão ficando muito parecidas, não vai dar tempo”. Não foi bem assim a fala, mas foi algo nesse sentido. Bom, foi isso. Eu não fiz a minha pergunta. O pessoal da segunda fila, porém, sofreu mais que eu. Só duas outras pessoas puderam perguntar.

O fim da coletiva chegou, a Lana recebeu alguns presentes. Nesse meio tempo a gente conseguiu com que ela falasse “Hi, Once Upon a Time Brasil” e foi super fofo. Ela não entendeu de primeira e eu tive que repetir. O “Brasil” dela saiu cheio de sotaque e foi lindo.

Ela saiu e eu vi que a Bex estava tirando foto com uma fã, então eu fui correndo e chamei a Letícia. Acabou que eu não consegui foto com ela, por que não deixaram. Só deu pra perguntar se eu podia dar um abraço nela e depois me empurraram. Fiquei triste, mas foi ótimo da mesma forma. Vi a Lana passando atrás de um dos banners e eu até tentei passar por debaixo dele para dar um abraço nela, mas foi impedida, hahaha. Uma pena.

A coletiva havia acabado, fomos para o lobby e vi um tumulto de fãs. Imaginei que fosse algum ator e já ia correr pra ter a minha foto com quem quer que fosse, mas era a Valesca, daí voltei para o meu lugar. Nada contra gente, mas eu não queria foto com ela. Eu não sei se a Lana encontrou com a Valesca depois ou antes disso, de qualquer forma, foi perto disso.

Um dos melhores dias da minha vida havia acabado. Felizmente, era só o primeiro.

Sabe aquela sensação que você tem que você fecha e olho e um segundo depois está na hora de acordar? Foi assim de sexta para sábado. Deitei na cama e puff, já era hora de levantar. Mesmo estando cansada, estava tão bem disposta que foi impressionante. É outra coisa quando se está ali para fazer o que gosta.

Mais ou menos às 7 horas eu já estava no Sheraton. Nunca fui daquelas que morre pra ver o dia começar, mas se tivesse como ver o sol nascer da mesma forma que os hóspedes do hotel tem, adoraria ficar que nem uma retardada olhando para a janela. Acho que a melhor parte de chegar no hotel bem cedo foi ter todas as tomadas à minha disposição. Foi legal ver os funcionários pendurando os pôsters da série nas pilastras também.

Nunca tinha ido à uma convenção antes. Nunca tinha conhecido algum “famoso” que eu realmente gostasse. Nunca fui em algum lugar representando alguma coisa, além de mim mesma, ha. Nesse dia eu estava fazendo as três coisas: Estava na Ever After, havia conhecido a Lana, Bex e Sean e estava lá representando o site (mesmo que ninguém soubesse da minha cara).

O primeiro painel foi da Bex com o Sean e sinceramente, os dois parecem irmãos, de tão amigos. Eu estava um pouco preocupada sobre qual poderia ser a reação de alguns fãs em relação ao Sean, mas deu tudo certo. Viram a fofura que esse homem é, e várias pessoas saíram do evento adorando ele. Ele é um doce.

Não vou dar muitos detalhes dos painéis por que todos já sabem o que aconteceu e eu não tenho nenhum momento “pessoal” para compartilhar sobre eles. Não fiz nenhuma pergunta por que nem me interessei em escrever alguma para ser sorteada. Não tenho sorte com essas coisas. Vale a pena dizer que gritei até não aguentar mais em qualquer “A” que qualquer um dia, por que estava ali pra isso.

Tinha uma grande “pausa” entre o painel Bex/Sean e o do Colin. Entre esse tempo seriam feitas atividades. Como não tinha nenhuma até aquele momento, achei um tomada e fui carregar o celular, pra continuar a fazer a cobertura no Twitter. Estava sentindo que teria a internet cortada a qualquer momento. Sem contar que o 3G não estava colaborando. Fiquei sabendo que o wifi do hotel custava 40 reias. Super caro, mas achei aceitável para o local. Fui obrigada a comprar o Wifi, mas nem era isso tudo. Tudo mentira do povo. Era 10 reais por três horas, sendo que podia dividir com uma pessoa. Eu e Letícia dividimos. Depois dizem que vida de fã site é fácil, hahaha.

O painel do Colin foi uma gracinha. Foi tão bom ver a cara daquele homem! O cara estava sumido desde sexta e foi um alívio ver ele lá. E tive a mesma sensação de “Ele é de verdade!” que tive no dia anterior. Ele é um amor e com certeza agora tenho uma visão diferente dele. Não que eu não gostasse do Colin antes. Eu não falei com ele, ele nem sabe da minha cara, mas sai do painel com a sensação de “Não sou sua amiga, mas gostaria de ser. Não te conheço direito, mas acredito no que você fala”. Acho que esse é o diferencial do elenco de Once Upon a Time. Eles são o que são. Eles são exatamente o que você imagina deles. Eles estão ali, são de verdade. Parece que não existe mundo lá fora, que eles não tem outros fãs, nem família e filhos. Eles estão ali para aproveitar o momento com você. São fofos, educados e topavam tudo que os fãs pediam. Era nítido a felicidade de cada ator que estava lá.

Depois teve a vez da minha primeira atividade: Minha foto com a Lana! Aos que acompanham o Twitter do site, devem ter visto a minha cara de acabada depois da minha foto com ela.

Bom, fui para a fila da foto e estava super normal. Mesmo. Estava controlada. Sem choros, sem nada. Normal. Feliz. A fila foi andando e via diversas pessoas saindo chorando. Chorar de passar mal, chorar de precisar abraçar alguém, chorar de soluçar. Mesmo. Até fiquei preocupada com os fãs, eles estavam mal de verdade. Mal, mas feliz? Acho que diria que não tem como estar mal e feliz ao mesmo tempo antes da EA. Tem como. E o motivo era cada um dos atores que estavam no evento, em especial a Lana.

A minha vez estava chegando e na hora que você estrava dentro da sala da foto, você tinha que deixar a sua bolsa em uma mesa, com tudo lá dentro: Celular, câmera, qualquer coisa desse tipo, para não correr risco de fotos da sessão serem publicadas na internet.

Quando fui colocar a minha bolsa na mesa, vi a Lana. Fiquei muito impressionada. Tinha visto ela no dia anterior e é com certeza uma fofura, mas sabe quando a pessoa é deslumbrante? É a Lana. Ela foi super fofa com todos os fãs que eu vi tirando fotos. Tentava falar em português, falava em inglês e sorria o tempo todo.

A minha vez foi chegando e estava decidida que não ia chorar. Não ia. Naturalmente não gosto de como saio em fotos, imagina se estivesse chorando? E ainda, sendo bem sincera: Eu paguei caro por aquela foto. Tinha que sair descente.

Estavam apressando muito a gente, por que tinha fã que chegava, falava mil coisas e só depois tirava a foto. De certa forma, entendo os dois lados da situação.

Se você foi na Ever After, deve ter passado pela luta em decidir como seria a sua foto com algum dos atores. Tinha pensado em várias coisas legais para fazer na hora da minha foto, mas sabe aquele medo de perder a chance de abraçar o ator na foto? Não queria perder essa chance com a Lana. Decidi que se na coletiva eu conseguisse abraçar, na photo ops faria alguma coisa legal. Como isso não deu certo, minha foto foi abraçada.

Não estava muito nervosa até que foi realmente a minha vez. Era ali. Minha foto era agora. Minha foto. Com a Lana. Infelizmente foi bem rápido. Como estavam apressando, eu tive que chegar logo pedindo para abraçar ela e ela respondeu que sim. Nos abraçamos e eu estava realmente tremendo de nervoso. Na hora eu nem notei que estávamos com a blusa da mesma cor, o que teria sido legal comentar com ela. Não reparei também que estava com a mão na bunda dela… que foi totalmente sem intenção, ok? Mas não me sinto nem um pouco culpada, hahahaha.

Foi saindo da sala da foto foi que eu desabei. Fui chorando para o salão principal e lá chorei de soluçar. Eu estava chorando por que estava muito feliz. Foi uma mistura de “Ela é real!” + “Eu conheci ela!” + “Foi tão rápido!” mas foi ótimo. Algo que eu tentei muito guardar foi a sensação de abraçar essa mulher. Acho que não vale a pena ter a foto e não se lembrar de como foi. Eu ainda lembro e isso é a melhor parte.

Se teve alguém que chorou mais que os fãs que estava lá, esse alguém foi a Lana. Ô coisinha que se debulhou em lágrimas o tempo todo, viu. Não que eu tenha visto, mas o que mais tinha era gente falando que ela estava super emocionada. (Sean se segurou no painel com a Bex pra não chorar, aliás.)

Mais tarde foi o painel da Lana com o Sean. Um dos meus ships é OQ, mas estava muito mais animada para ver de perto da amizade dos dois. Depois de ter visto a interação deles acho até estranho as cenas da Regina com o Robin. Eles são tão amigos. Esse foi o último painel do dia e o resto foram atividades. Eu estava tão cansada no fim do dia que até fui para o hotel mais cedo, já que não tinha mais nada para fazer no Sheraton. Infelizmente, o último dia de Ever After estava chegando.

A facilidade com que eu acordei no primeiro dia do evento não se repetiu no segundo. Acho que foi ali que percebi que estava realmente morta de cansaço.

Chegou no hotel de novo mais ou menos as 07 horas. Pela minha surpresa, eu fui a primeira a chegar. Foi estranho e ao mesmo tempo ótimo ver o lobby vazio. Tínhamos eu e mais um segurança dormindo em um dos bancos, coitado.

O primeiro painel do dia foi o da Bex. Odeio que as pessoas me deem bom dias, mas poderiam escutar a Bex dizendo “Morning!” pra sempre. Aquele sotaque dela é a melhor coisa. Sabe aquelas pessoas que nunca parece estar mal humorada? Acho que ela é uma dessas.

Diversas coisas aconteceram no painel dela, mas provavelmente a minha favorita foi a pergunta sobre o Rodrigo Santoro. A coitadinha não sabia quem ele era e haviam perguntado sobre como foi trabalhar com ele. Ela não tinha como responder por que, na verdade, eles nunca tiveram uma cena juntos em “Lost”. Para ver se ela se lembrava de quem ele era mostraram uma foto no celular mas ela não reconheceu. Daí a equipe de som foi esperta e colocou pra passar o comercial da WiseUp no telão onde o Rodrigo aparece. Foi muito engraçado por que todo mundo apontou pro telão e a Rebecca ficou sem entender nada. Depois que ela viu a cara dele, confirmou que não conhecia mas disse que ele era bonitão, mas ela logo acrescentou: “Mas eu não posso falar isso por que tô noiva!”

Falando em Bex estar noiva, a fofura dos fãs para com Fred e o Marcus era uma gracinha. A Lana até comentou sobre isso, que adora o fato dos fãs apoiarem as relações deles foram de cena também.

Depois disso tiveram mais atividades e depois o painel com o Sean, Bex e Colin. A amizade do Sean com o Colin é muito fofa. Minha parte preferida foi quando o Sean disse “because” de uma forma engraçada e cheia de sotaque, o que fez todo mundo rir. Ele não entendeu nada e ficava perdido indo perguntar para o tradutor o que estava acontecendo. Toda vez que ele continuava a frase, dizia “because” de uma forma diferente e todo muito dizia “não!” por que a gente queria que ele falasse do jeito da primeira vez. Ele ficou mais perdido ainda até que o Colin disse: “Eles gostam do jeito que você diz ‘because'”. BROTP. Ah! Dois ingleses e um irlandês tentando sambar é impagável.

Infelizmente o momento que eu mais temia estava chegando. Eu sabia desde o começo que estava correndo risco de não conseguir minha foto autografada pela Lana por causa do horário da minha passagem que não tinha mais tarde, só na segunda. E eu e minha mãe tínhamos que estar em casa antes disso.

Não dava tempo nem de tentar falar com as meninas da Daydream para ver se elas deixavam eu ir primeiro na fila. Eu tinha que ir embora naquela hora.

Sabe nos filmes quando tem aquela cena triste e tá tudo em câmera lenta? Foi algo tipo assim. Eu estava indo embora mais cedo do melhor evento que eu já fui na vida, não ia ver a Lana autografar a minha foto, ia perder o painel da Lana e a despedida. Estava bem triste mesmo.

Cheguei em casa bem triste, mas fiquei mais feliz quando a Lets disse que a Lana adorou o meu nome, por que era diferente.

Foram três dias que pareceram ter duração maior que 24 horas. Foram os melhores três dias. Por mim, poderia ficar vivendo a Ever After pelo resto da vida.

Mal posso esperar pela segunda edição. Eu vou, dessa vez com tudo planejado, sem notícias de última hora. E com certeza vou ficar até o final.



Comentários



Design: Isabella Sivic | Programação: Danielle Cabral