Próximo Episódio...
6x05 - “Street Rats”
jorge postou isto no dia 14 de março de 2016.

Emma realmente tem passado por experiências difíceis. A órfã que se tornou Salvadora em Once Upon A Time é o centro da série da ABC que mistura vários contos de fadas, mas, após todo esse tempo, ela ainda tem que encontrar seu próprio “feliz para sempre”.

Jennifer Morrison – que interpreta Emma – mostra exatamente como sua personagem se transformou de um indivíduo emocionalmente fechado na mulher que agora vemos nas telas, arriscando sua vida por amor. Até agora, sua vida romântica sofreu com duas mortes – bom, três se você incluir Hook indo para o Submundo.

Morrison contou para o Zap2it o quão orgulhosa ela está de sua personagem estar sendo destemida quando se trata de amor e descreve como esse sentimento foi de uma fraqueza de Emma para sua motivação como heroína.

“Eu acho que tem sido uma jornada bem interessante, porque nós temos essa mulher que, quando a conhecemos no piloto, era tão fechada que não conseguia se abrir nem para a ideia de amar,” Morrison declara.

“Ela era toda ferida por dentro, querendo se proteger… querendo fazer tudo por ela mesma para que nunca mais pudesse ser machucada novamente, porque ela já foi muito machucada antes,” ela continua. “Então, nós embarcamos nessa jornada com ela, na qual ela tem que trabalhar para derrubar todas essas barreiras e todas as paredes.”

Apostando em seu ponto de vista, Morrison afirma, “Eu acho que uma das coisas mais corajosas que você pode fazer na vida é amar sem barreiras, e amar sem filtros e amar sem condições. Acho que você tem que ser incrivelmente forte para fazer isso.”.

Morrison entende completamente a hesitação de Emma com namoros. Para uma história que teve um começo onde só poderiam existir dois amores verdadeiros para a Evil Queen (Lana Parrilla), foi sorte Emma ter uma terceira chance com Hook (Colin O’Donoghue).

“Eu acho que é apavorante e eu ainda acho que sou uma pessoa amorosa, mas ainda me sinto apavorada por estar tão vulnerável,” Morrison complementa. “Então, tentar imaginar alguém como Emma, que foi magoada tão fortemente, tentando chegar a esse ponto, você pode ver o quão difícil isso pode ser. O que a mantém é ter esse homem [Hook], que conseguiu vê-la como ela realmente é. Ele amou o lado bom dela, mas ele também amou os lados ruins e ele a aceitou por quem ela é de verdade.”

Morrison vai além, “Ele tomou decisões difíceis no momento em que ela precisou  que ele tomasse. Mesmo quando ele teve que batalhar contra seus próprios demônios, batalhar contra sua própria necessidade e instinto de vingança, no último minuto, ele tomou a decisão certa e tentou salvar todo mundo. Ela teve que assisti-lo durante todo esse processo.”

Mesmo a história sendo ficção, a atriz aponta para uma necessidade universal de amor que liga a história de sua personagem com as comuns do mundo real.

“Eu acho que há uma autenticidade que é especial e que também é o que as pessoas estão procurando na vida real – nós queremos alguém que nos veja como realmente somos. Eu acho que é isso que aquele amor representa de verdade e ela está disposta a fazer o que for preciso para lutar por ele, porque não é algo que se ache tão frequentemente… não só em Storybrooke, mas na vida real também.”

Via

Tradução: Jennifer Morrison Brasil.



Comentários



Design: Isabella Sivic | Programação: Danielle Cabral