Próximo Episódio...
6x05 - “Street Rats”
jorge postou isto no dia 14 de março de 2015.

A atriz Kristin Bauer foi entrevistada pelo site TV Fanatic e falou um pouco sobre os objetivos de Malévola, como é interpretá-la e sua amizade com Merrin, Victoria e Lana. Leia a tradução abaixo:

Como tem sido voltar a ser Malévola e usar aquela roupa incrível? Você costuma pegar esses papéis de grande peso, não é?

Eu sei que esses personagens que recebo para interpretar são muito incríveis, então pelo tempo que passo preparando o cabelo, maquiagem e figurino, metade do trabalho já está feito. Eu me sinto tão sortuda. Eu não sei qual é o tipo de moldagem, mas eu não poderia estar mais feliz.

Existem tantas backstorys desta vez. Como é para você aprender muito mais sobre o mundo dela e sua história?

Ah cara, eu adoro a backstory. Eu adoro isso, porque como ator você está sempre se perguntando todas as perguntas que você deve saber sobre como interpretar esse personagem, e o nível que ela está em uma escala de 1 a 10 de escuridão, é um 11. Existe alguma suavidade nela? Quais são as características que eu deveria trazer para que eu a faça ficar com várias camadas?

Acho que um personagem do mal é mais interessante e mais assustador, na verdade, se há alguma humanidade, de modo que se você abaixar a guarda, você pode se sentir confortável, e realmente começa a gostar dessa pessoa, e eles podem em um segundo turno se transformar e matar você sem nenhum remorso. E um dos motivos de eu querer voltar a fazer a série foi porque me lembrei de como é agradável estar no set interpretando com Lana Parrilla. Ela é é uma mestre, conhece sua personagem e é muito divertida e ela tem o melhor risada do mundo.

Você acha que o telespectador vai ter a impressão de mudança da Malévola no passar da história desses episódios só porque veremos mais camadas dela?

Sim, eu acho que a nossa percepção de Malévola vai mudar. Eu sei que a minha mudou e está crescendo. Eu sinto que tenho que descascar a cebola disso, então eu não sinto que há informações para nos confundir. Muitas informações virão desses flashbacks.

Fale sobre seu relacionamento com Úrsula e Cruella porque pelo o que eu tenho visto, parece que Malévola é tipo a líder, mas eu não sei se isso continua ou se é como você vê-la.

Sim, não diga para as outras duas, mas eu sou definitivamente a líder. Quando você entrevistá-las, elas vão dizer: “Oh, eu era a líder”. [Risos] Eu acho que é assim que devemos olhar para isso e elas são atrizes tão divertidas. Essas mulheres são realmente incríveis e essas personagens de peso, jogadas em uma sala juntas com diálogos incríveis… Ah cara, nós tivemos bons momentos!

E felizmente para mim, Merrin e Vic são o oposto de Úrsula e Cruella e estas mulheres – e Lana – todas elas te apoiam e é incrível vê-las interpretando mulheres que não apoiam ninguém, mas as atrizes reais estão no canto, torcendo por você. Assim, nos sentimos seguras, porque muitas vezes estamos em um aquário verde, você sabe, porque nós filmamos com uma tela verde.

Então, é realmente estranho, você fica lá sentada e apenas explora os personagens, e se você não se sentir seguro seria muito difícil, e Lana nos recebeu de braços abertos, o que é muito bom, porque estamos como crianças em uma escola nova.

O que você acha que Malévola quer, com base nesses episódios?

Ela está definitivamente cheia de vingança e dor no início, e vamos descobrir mais sobre isso ao longo da temporada. Vingança é muitas vezes um motivador comum para heróis e vilões. Você sabe, nós vemos Super-Homem, Homem-Aranha, Batman, blá blá blá… a vingança é claramente o motivador de Malévola no início.

Ouvimos muito nesses episódios sobre os vilões terem seus finais felizes. Você acha que Malévola quer um final feliz?

Eu acho que ela quer o que ela quer, e eu acho que para ela, é o final feliz. Então, todos eles estão procurando o que fará com que eles se sintam bem, e isso, a partir do seu e meu ponto de vista, não se parece com um final feliz, mas é para ela.

Eu provavelmente te perguntei isso sobre a Pam de True Blood, mas é um desafio para você participar de shows sem artificialidade ou não há isso neste tipo de show ou neste tipo de papel?

Ah cara, essa é a pergunta que faço todos os dias, em cada cena, e eu fico olhado para Lana e Bobby [Carlysle] tipo, ‘ok. Vocês conhecem este mundo. Eu sou a novata aqui’ então, eu confio neles. Eu chequei com eles. Os diretores, os produtores, os roteiristas. Todos eles me apoiam e me dei conta de que estou mais confortável e enraizada em Malévola, percebi que há uma estrutura de suporte que não se tem que trabalhar excessivamente para promover esses personagens.

Nós temos esses sets maravilhosos, seja ele [tela] verde e o cenário será colocado mais tarde ou se estamos realmente em um dos sets que eles construíram. Você tem essa roupa inacreditável, cabelo e maquiagem. Estou com esses outros atores que são tão proficientes e vivem e respiram esses personagens. Temos os escritores e produtores bem ali, à distância de um braço, caso você tenha alguma pergunta. Então, comecei a relaxar muito rapidamente, e a coisa mais surpreendente sobre todas essas pessoas que eu acabei de mencionar é que há uma sensação de apoio. Isso nem sempre acontece. Tive isso em True Blood e tenho aqui.

Caso você não tenho notado, existem vários caras bonitos nessa série. Malévola viu alguém que a interesse?

Eu acho que ela está realmente muito focada em seus desejos e necessidades para ter um romance. Eu nem tenho certeza absoluta sobre qual tipo de homens ela gosta. Quero dizer, isso é humano? Tipo, ela é meio dragão.

Via

Tradução: Once Upon a Time Brasil – Não reproduza sem os créditos!



Comentários



Design: Isabella Sivic | Programação: Danielle Cabral