Próximo Episódio...
6x05 - “Street Rats”
jorge postou isto no dia 09 de março de 2015.

Apenas alguns dias da vida em uma nova cidade e a Cruella De Vil de Victoria Smurfit já está no caminho para a coroa de “mais glamourosa” de Storybrooke.

Envolta em diamantes, com as mãos revestidas em luvas de couro vermelho, e se portando como uma ex-supermodelo em um vestido vintage frisado e a peça-chave de seu conjunto – a marca da vilã da Disney, o casaco volumoso – a Cruella de Victoria é tanto diabólica quanto divina em Once Upon a Time.

“É só pegar todo o drama e a riqueza e algo da contradição do caráter da personagem e juntar tudo em um casaco extraordinário”, Victoria disse ao Access Hollywood sobre a peça do traje de Cruella.

Complementando seu impressionante guarda-roupa de Once, está o tão dramático cabelo em dois tons, alto, sobrancelhas pintadas e maçãs do rosto acentuadas, e a Cruella de Victoria está se mostrando toda impressionante, com pacotes de alta-costura, bem como sua arrogância ligeiramente minimizada (ela está tentando convencer Regina e o resto da gangue que ela mudou), e ela vai de rua em rua em um Golden Spirit Zimmer. E Victoria está curtindo cada minuto no automóvel clássico.

“Eu amo dirigir ele”, ela disse ao Access. “Quando comecei a trabalhar, foi bastante fácil, basta se acostumar com o tamanho, porque sua frente é extremamente longa, e quando eu adquiri confiança, acho que aterrorizei a pobre Merrin [Dungey], que interpreta Úrsula, várias vezes por que eu fazia o carro guinchar. Mas foi muito divertido. Eu amo, amo, amo esse carro. Esse carro é um pedaço do céu.”

Ela já havia visto (há algum tempo) a versão live action “101 Dálmatas” de 1996, com Glenn Close, uma atriz que ela chama de “ídolo”, e para fazer a sua própria versão da icônica vilã da Disney, Victoria inspirou-se nos roteiros e no filme de animação de 1961. Em uma nova entrevista desta semana para o Access, Victoria falou sobre trazer Cruella à vida de Once.

Eu sei que foi pouco tempo atrás (visto que você fez a sua estreia no ano passado), mas quando eles ofereceram-lhe o papel, o que passou pela sua cabeça – já que é Cruella De Vil?

Eu recebi um telefonema do meu agente dizendo que Once Upon a Time estava me oferendo um papel, e eu pensei, ‘Uau, isso é incrível’, e eu disse: ‘Quem é?’ e eles disseram, ‘Alguém chamado Sasha.’ Eu fiquei tipo, ‘Quem é Sasha?’ Na verdade, não era Sasha, e então eu fui pro telefone com [produtores executivos] Adam [Horowitz] e Eddy [Kitsis] e eles estavam conversando, estávamos tendo uma adorável conversa e eu disse, ‘Eu não quero ser rude, mas quem eu vou interpretar?’ e eles disseram, ‘Cruella de Vil’, e eu quase caí da minha cadeira, porque eu tinha, na verdade, feito o teste para Cruella em projeto da Disney e não consegui, e eu a amo muito e ter a oportunidade de interpretá-la foi uma loucura.

Como foi quando você se viu com o cabelo e a maquiagem e a roupa completa pela primeira vez?

Você sabe, a primeira coisa que aconteceu foi chegar o quadril para trás, levantei um pouco os cotovelos. Estou sempre procurando os ângulos para Cruella, porque quando você a vê no desenho animado, ela é muito curvada e ossuda e com ligeira osteoporose… e eu adoro a justaposição entre a magreza, essa mulher neste luxo extraordinário e eu adoro o fato de que Cruella pensa que ela é linda. Eu amo isso e eu amo o fato de que quando estou com a peruca e a maquiagem e tudo mais, de repente… tudo isso trabalha absolutamente em um contexto porque [quando] você está sentada com apenas uma touca e a maquiagem está sendo feita, pode ser muito assustador, porque você ainda está sendo arrumada, mas depois, quando tudo está pronto, é apenas uma combinação espetacular de departamentos que arrasam. Eles realmente conseguem. Fazem o meu trabalho ser muito mais fácil.

Eddy e Adam falaram sobre o seu personagem e disseram que eles queriam que ela fosse mais inspirada em Zelda Fitzgerald do que a que estamos acostumados, mas eu sinto que ela definitivamente tem um ar de ‘Dynasty’ [série de TV] também. Em que você se inspira para interpretá-la?

De tudo o que está na minha frente, que são as palavras do roteiro, o desenho animado, os figurinos, a maquiagem, o cabelo. Eu estou tentando amarrá-los todos juntos, porque, obviamente, Adam e Eddy criaram sua própria versão, o que é fascinante. Eles são os reis das palavras e a atenção deles aos detalhes e a capacidade de unir todas as histórias e personagens diferentes é fenomenal, e às vezes eu não sabia para onde ela estava indo ou o que estava acontecendo, então você dá a eles algumas opções no set para usar nas edições, o que será desenvolvido nos episódios futuros. E assim a minha inspiração foi realmente a que a equipe me deu, porque eu sou uma grande crente em ‘Deixe os profissionais fazem o que fazem’… e esse foi sempre o meu ponto. E, também, eles deram a ela falas extraordinariamente divertidas e ela, obviamente – ela tem esse ar de tédio, ela já viu de tudo, fez de tudo, o que eu adoro, e esse tipo de glamour falso e tédio com a vida é tipo o céu para fazer.

No final da estréia da 4B, Snow e David ameaçaram Cruella e Úrsula. Elas estão realmente preocupadas com esta ameaça? É Snow e David e vocês são o mal, mulheres más.

Eu acho que você tem que levar todas as ameaças a sério, mas você também tem que ser arrogante o suficiente para pensar que pode combater qualquer coisa como um vilão, e lembre-se, cada um de nós tem poderes mágicos individuais… Mas você não pode mexer com Ginnifer Goodwin e não pode mexer com Josh Dallas e se eles estão indo em sua direção, você tem que levá-los a sério. Eles são heróis poderosos!

Como foi ter Adam e Eddy na direção? Deve ter sido interessante ter as cabeças do show, os escritores, ali de pé na sua frente.

É fantástico. É como ser dirigido pelo oráculo… Helga [Ungurait, uma das produtoras do show, que está no set] é, literalmente, o Google de Once Upon a Time. Ela é incrível. Ela sabe tudo sobre todos os relacionamentos e todos os personagens, desde o piloto, porque você recebe o script e se você ainda não assistiu ou leu todos os episódios, você fica tipo ‘Helga! Helga! Como é que este personagem se relaciona com esse personagem, e como é que eles sabem disso sobre isso?’ E ela é capaz de – fora de sua mente de Google – falar com você sobre algo de três temporadas atrás porque ela é extraordinária. Então, ter o oráculo ali foi bastante extraordinário. Por isso, foi super reconfortante saber disso porque quando você vem para um show tão grande como Once Upon a Time, e um show que tem toda a fantasia, o conto de fadas, mas também o mundo real e a realidade, e CGI e efeitos especiais, que é um assunto muito interessante para trilhar, e o primeiro dia no set é aterrorizante pois você tenta encontrar seus níveis dentro da cena, dentro do show. Mas ter os meninos lá significava que você sabia que estava super protegida porque eles nunca vão deixar você exagerar ou atenuar, porque quando você aparece no set com um pesado casaco de pele branco, saltos vermelho brilhante de 15 centímetros e a peruca preta e branca, você chama a atenção… Mas você não quer ser demasiado e tê-los lá no set significava estar super confortável sabendo onde estava e o que você estava fazendo em qualquer cena. E eles são engraçados. Eles são realmente super engraçados.

Via

 Tradução e adaptação: Once Upon a Time Brasil – Não reproduza sem os créditos!



Comentários



Design: Isabella Sivic | Programação: Danielle Cabral